Cole Sprouse responde perguntas de fãs sobre a 2ª temporada de Riverdale

Cole Sprouse já viu o meme de Riverdale “I’m a weirdo” e admite que Jughead pode ser um Garoto-Nojento

O sabor de milk shake do Jughead é café, só pra constar

Com novos episódios de Riverdale virando a esquina (11 de outubro!), Cole Sprouse resolveu ter um momento para responder as perguntas ardentes dos fãs sobre a Segunda Temporada durante um Reddit Ask Me Anything. Aqui está o que aprendemos:

  • Sobre as atitudes do Jughead, já que ele não é mais um estranho…

A temporada 1 nos foi descrita pela equipe criativa como uma “história de origem” para todos os cidadãos de Riverdale. A objeção de Jughead com a interferência como parte da temporada 1 é a coisa que mais irá mudar. Seu medo da interação é agora algo que ele tem que enfrentar de primeira mão, e com isso, sua eventual compreensão de que suas ações sempre irão irritar uma pessoa. Sua “atitude de não-me-importo”, que teremos mais na 2ª temporada, é muito “digestão de Jughead”.

  • Sobre ser escalado para Jughead e atendendo aos fãs dos quadrinhos…

Fiquei emocionado por muitas razões. Principalmente porque eu sabia que poderia tentar fazer a justiça dos personagens. Todos nós assumimos que iríamos – ódio não é algo raro no elenco dos quadrinhos. Só precisa levar isso como um grão de sal e se você é o tipo competitivo, provar que estão errados. Eu teria ficado muito mais chateado se o show não ressoasse com a multidão de quadrinhos, depois de termos tido tanto amor nisso. E assim, eu me sinto tremendamente grato por isso.

  • Sobre Jughead vingando seu pai…

Jughead vem lidando com uma onda de azar. Ele está tentando fazer seu próprio caminho e não está sendo aceito. Ele precisa se acostumar, mesmo temporariamente, a perseguir as questões que ele precisa responder. Ele deseja ardentemente ajudar seu pai, atualmente seu único membro da família, e ele mal vai parar pra consegui-lo.

  • Sobre outros personagens fazerem a narração….

Eu não penso assim, não. Temos alguns episódios em que outros personagens tomam as rédeas por um período. [Roberto Aguirre-Sacasa] mencionou de passagem que Jughead não teria originalmente uma presença nesse show, e acredito que a narração era a avenida perfeita para mantê-lo envolvido sem estar tão presente.

  • Sobre os paralelos e contrastes nos filhos e nos pais do show….

Eu acho que os pais devem ser vistos como um reflexo do futuro possível de seus filhos. Nós vemos que o elenco mais jovem segue os mesmos passos inevitáveis, e esse percurso é ajudada ou dificultada com base na capacidade da família de se comunicar entre si.

  • Sobre a fonte do livro do Jughead

Comic Sans

  • Sobre se nós iremos ver Chuck novamente, possível com um arco de redenção…

~ Você vai. ~ ~ Talvez. ~ ~ Talvez seja esse mesmo episódio que estamos filmando agora. ~

  • Sobre está hesitante no caminho do show….

A verdade é que ficamos um tanto hesitantes quanto a configuração do show. À primeira vista, um resumo como “uma conquista escura e ardilosa sobre o Archie Comics”, é um fanboy como meu pior. Foi só depois que eu li as histórias de horror que [Roberto Aguirre-Sacasa] e os outros escritores haviam produzido, além de ouvir sobre a inspiração em Twin Peaks para o show, que eu sabia que seria algo divertido. O conteúdo era bom e autoconsciente. Todos nós nos doamos muitos para garantir que os personagens sejam fiéis, mesmo nesta nova configuração.

  • Sobre sua transição de volta à atuação…

Eu acho que muitas celebridades mirins da minha infância enfrentam um dilema semelhante: atuar foi, por muito tempo, um meio para manter minha família viva financeiramente. E sendo que eu fui colocado nisso antes de tomar uma decisão consciente de persegui-lo por paixão, a única definição que eu tinha para a forma de arte era uma definição de negócios / sobrevivência. Isso afetou todos os aspectos do meu envolvimento: minha capacidade de aprimorar os projetos de talentos, meus cuidados, meus projetos, etc., até que eu tirei uma grande pausa para re-definição dessa forma de arte, eu não poderia retornar. Agora, é muito mais agradável, e Riverdale é muito divertido de ser parte. Agora, é paixão.

  • Sobre o meme “im a weirdo”…

Eu era aquele garoto quando tinha 16 anos, de verdade, fazia sentido (da maneira mais assombrosa). Eu acho que este show brinca bem com os estereótipos clássicos, e Jughead definitivamente tem momentos de cringe-boy. Juggy merece essa representação. Fico feliz que a cena tenha ressoado com o público da mesma forma que ressoou comigo como o ator que lê essas linhas.

  • Sobre filmar no Canadá…

Vancouver nos permite sentir bastante isolados do resto da indústria do entretenimento. [Ela] realmente ajuda a focar em estar presente no set. Parece bobo, mas essa é a minha parte favorita. Vancouver também é naturalmente belo, e no verão é verdadeiramente um paraíso edênico.

  • Sobre os novos membros de elenco…

Novos membros do elenco são ótimos. Riverdale é um grupo bem aconchegante, e eu sei de primeira mão que entrar em uma máquina profissional já estabelecida pode ser intimidante. Todo mundo parece estar encontrando o ritmo … Reggie encontra uma tomada muito mais cômica e fiel na temporada 2 que já é muito divertido.

  • Sobre seguir papéis mais adultos…

Certamente, mas esses pontos são obtidos através de trabalho árduo e dedicação, então, se a oportunidade surgir, eu definitivamente vou competir. Há um mito na atuação que conseguimos curar as carreiras que queremos com uma exatidão, que nunca foi minha experiência. Os atores geralmente estão sujeitos a diversos fatores que inevitavelmente afetam a carreira. Mesmo quando eles assumem um papel, eles ainda funcionam dentro de um conjunto de regras e esquemas. Eu vou lutar por uma determinada carreira, e enquanto eu fizer isso com tato, talento e compreensão, a carreira irá avançar positivamente. Enquanto isso, tenho a obrigação de colocar toda a minha paixão neste show.

  • Sobre o que inspira e quem admira Jughead…

Jughead é o centro moral da cidade; ele assume uma forte posição neutra / boa, e agora é descrito como a alma de Riverdale. Ele favorece e admira quem tem uma história de tomar decisões corretas em cenários comprometedores e favorece seus amigos de infância. Ele admira Betty, ele admira seu pai tremendamente, e ele admira o bem. Eu vejo as admirações de Jughead e o arco narrativo como um reflexo da iluminação ou decadência de não apenas Jughead, mas da alma da cidade como um todo.

  • Sobre se iremos algum dia conhecer a família adotiva de Jughead….

Este enredo é uma placa petri para a estranheza. Meu entendimento é que Roberto [Aguirre-Sacasa, o criador do programa] está salvando isso para algo que vocês gostariam bastante Ainda não li nada.

  • E finalmente, sobre se ele sente falta de trabalhar com seu irmão Dylan…

Naw, não sinto falta desse cara, ele é uma merda.

Fonte © Tradução/Adaptação: Gabrielly Alves – Riverdale Brasil – Não reproduza sem os créditos.

A segunda temporada de ‘Riverdale’ estreia em 11 de outubro na CW. No Brasil a série é exibida pela Warner Channel.

Fiquem ligados aqui no Riverdale Brasil e em nossas redes sociais no TwitterFacebookInstagram e no YouTube para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Riverdale.

Arquivado em:

COMENTÁRIOS DO POST

error: Caso queira algum dos nossos textos, envie um e-mail!